Única saída, jejum

No corre-corre da vida cotidiana, não reparamos, mas no final do dia, acabamos por ingerir inúmeras impurezas que o corpo terá que trabalhar para expelir.

Impurezas de poluição que entram pela pele, nariz e boca e nutricionais, com a má alimentação, ou componentes tóxicos e nocivos a saúde que demoram muito tempo para conseguir sair do nosso organismo, considerando que algum dia saiam.

O jejum pode ser a única saída.

Imagine você em um dia normal de trabalho.

O dia começa com a sua mesa cheia de papéis.

Cada um representando um problema ou assunto por resolver.

Mal você chega, seu chefe já o chama para resolver algo muito importante para a reunião da tarde com o presidente.

Você nem leu seus e-mails e já está correndo contra o tempo.

Entrega.

Pausa para o almoço.

Quando volta, um turbilhão de e-mails ainda não lidos, com solicitações urgentes para até o final do dia ou para o dia seguinte, as quais depende de informações de outros, muito difíceis de encontrar.

No fim do dia, você resolveu algumas coisas.

Outras ficaram para amanhã.

Ou então, você terá que ficar no escritório até mais tarde.

Bem, com sorte, amanhã é 6ª.

Coloque esta correria para dentro do seu corpo.

Você acorda.

Os papéis representam o jantar ou o almoço de ontem ou ainda aquela feijoada de domingo que não fez assim tão bem.

Logo depois, você toma café da manhã.

Leva uns biscoitos para comer até a hora do almoço.

Almoça.

Cafézinho da tarde, uns pães de queijo da lanchonete da rua.

Chega em casa, janta.

Última ceia antes de ir pra cama, toma um copo de leite quente, ou coca cola.

Repare que nem incluí cigarro e os outros tantos copos de café ao longo do dia.

E tampouco vou me focar nas componentes nutricionais da sua alimentação.

O fato é que seu organismo passou o dia inteiro apagando fogo das comidas e bebidas ingeridas ao longo do dia.

E não deu tempo para as tarefas agendadas.

A verdade é que diferente de uma chegada do fim de semana ou das suas férias, ou mesmo horas extras de trabalho, seu corpo não consegue ter uma pausa para resolver problemas pendentes, como digerir gorduras acumuladas que foram postas no canto do seu culote ou na frente do seu abdómen para resolver depois.

Quando eu digo gorduras, digo tudo o que nos faz mal e que ingerimos, mas que não damos tempo para o nosso corpo colocar para fora.

É aí que entra o jejum.

Como vê, a única saída é mesmo um jejum.

Mas, como já dito na postagem Muitos anos de vida, jejum é uma prática que deve ser feita com critérios e responsabilidade.

Muita responsabilidade.

O Jejum

Existem jejuns a base de água e a base de sucos.

A opção é basicamente sua, pois há quem prefira uma ou outra.

Já fiz as duas e me senti muito bem com ambas.

O importante é saber que no caso dos sucos, eles devem ser feitos na hora da ingestão e com frutas naturais, por isso, esqueça os saquinhos.

O chá também pode ser considerado.

Ferva a água e adicione umas gotas de limão e uma colher e chá de mel.

Ou utilize casca de limão bem lavada.

Invente!

Mas não use chás de pacote ou infusões com chá preto ou verde.

Não use açúcar em hipótese alguma.

Troque-o, se necessário, por mel de abelha.

Outra distinção sobre jejum é a duração, que pode ser de uma manhã à 40 dias.

Mas passados 2 dias de jejum, a regra é fazer acompanhado por especialistas.

Para quem nunca fez jejum antes, inicie com o jejum matinal.

Ou seja, pule o café da manhã.

O próximo período sugerido é de 18 horas.

Faça a sua última refeição às 18 horas, por exemplo e volte a comer ao meio dia do dia seguinte.

Os outros períodos de jejum são de 24 horas, 1, 2, 3, 4, 5 dias, 10, 30 e como já dito, até 40 dias.

Estes não são sugeridos pelo Organicamente Correto, pois podem apresentar riscos à quem o faça em casa, sem acompanhamento.

Preparando-se para o Jejum

O preparo que é exigido para iniciar um jejum é ter tido uma alimentação de muito fácil digestão nas últimas refeições.

Ou seja, nada de alimentos pesados, como carne bovina, suína, e comidas com tendência a fermentação.

Esta transição de alimentação deve ser feita gradualmente para o organismo não ter choques e poder assimilar as mudanças de forma saudável.

Este processo habitua o corpo a diminuir o ritmo de trabalho, de modo também a auxiliar o praticante a não ter fome no período do jejum.

Tanto para jejum com água quanto para sucos, é muito importante a ingestão de muito líquido, visto que ele será a única fonte de nutrientes e de hidratação.

Você não perceberá, mas seu corpo estará trabalhando muito e todo o auxílio que puder dar a ele, dê, como optar por exercícios mais brandos, como caminhada pela manhã, yôga e alongamento.

Tome atenção à respiração.

Faça-a completa.

Utilize toda a sua capacidade pulmonar.

Fuja de ambientes poluídos e definitivamente, não fume.

Seu corpo estará em limpeza profunda.

Por Dentro da Desintoxicação

Muito embora cada corpo tenha sua particularidade, pode-se dizer em termos gerais que no primeiro momento, há uma análise orgânica, quando o corpo acusa todos os problemas existentes de funcionamento, e o organismo procura libertar-se dos materiais inúteis e funcionar como era ao natural (jejuns matinal e de 18 horas).

No segundo momento, há uma reação de resistência dos ciclos viciosos, das enzimas pedindo mais compostos habituais, do psiquismo subconsciente pedindo prazeres, excitações e inibições a que se acostumou (jejuns de 24 horas, 1 e 2 dias).

No terceiro momento haverá uma eliminação massiva de coisas estranhas, como depósitos, anticorpos, enzimas e compostos fora do normal genético.

E no quarto momento haverá o início do funcionamento como deveria ser.

Depois do Jejum

O fim do jejum é a parte mais importante do processo.

Para se ter uma idéia, nos de períodos mais longos, esta etapa pode até causar a morte, caso seja mal conduzida.

A volta da alimentação deve ser feita da mesma forma de um bebe.

Inicia-se com líquidos, sopas aguadas.

Depois, passa para as papas.

E gradativamente, daremos ao organismo alimentos cada vez mais com mais consistência.

Coma devagar e mastigue muito bem.

A carne é a última coisa que volta.

Entenda este processo da seguinte forma: É como voltar a malhar.

No primeiro dia, se você pega o peso que pegava naquela época aurea, no dia seguinte, estará todo doído.

Volte devagar.

Cada dia se progride mais um pouco.

Assim, o corpo volta a se habituar sem traumas e drásticas consequências.

Tenha paciência com o seu corpo, porque ele tem muita paciência com você.

Fonte: Artigo do site "http://organicamentecorreto.blogspot.com/2010/02/jejum-como-unica-saida.html".

Por: Daniel Marinho